Funções motoras e cognitivas de idosos frequentadores de centro de convivência comparados a idosos sedentários

Palavras-chave: idoso, centros comunitários para idosos, funções motoras, cognição, exercício físico

Resumo

Os avanços tecnológicos na saúde contribuíram para um aumento da expectativa de vida e para o envelhecimento populacional. Como um aliado ao envelhecimento ativo, diversas cidades têm possibilitado espaços específicos para idosos, chamados de centros de convivência de idosos (CCI).  Os CCI são locais destinados ao desenvolvimento de atividades socioculturais, educativas e físicas que permitem a participação do idoso na vida comunitária. O objetivo deste estudo foi avaliar as funções motoras e cognitivas de idosos frequentadores de CCI na comparação com idosos sedentários. Neste estudo transversal, descritivo e de abordagem quantitativa, 21 idosos foram divididos em três grupos: G1 (idosos que realizam atividades físicas em CCI), G2 (idosos que realizam atividades cognitivas em CCI) e G3 (idosos sedentários). As avaliações envolveram testes de vulnerabilidade (Índice de Vulnerabilidade Clínico Funcional - 20), funcionalidade (Índice de Pfeffer), cognição (Mini Exame do Estado Mental e Trail Making Test), equilíbrio (Escala de Equilíbrio Funcional de Berg) e mobilidade (Timed up and Go). Na comparação estatística, utilizou-se o Teste de Kruskal-Wallis. Os resultados apontaram similaridade entre grupos, para vulnerabilidade e funcionalidade. Houve uma tendência estatística do G1 em apresentar melhor escore motor que os demais. O grupo G2 apresentou pior escore cognitivo que os demais grupos. Já o grupo G3, por não apresentar os piores escores, opta por ficar em casa. Em conclusão, idosos que realizam atividades físicas em CCI tendem a apresentar melhor escore motor. O pior escore cognitivo do grupo G2 pode indicar que o idoso percebeu dificuldades cognitivas diárias e optou por realizar atividades com estimulação cognitiva.

Biografia do Autor

Anna Alice Vidal Bravalhieri, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Mestre em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Fisioterapeuta.

Nathalia Oliveira Rodrigues, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Mestranda em Ciências do Movimento pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Fisioterapeuta.

Tayla Borges Lino, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Mestre em Ciências do Movimento pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Fisioterapeuta.

Gustavo Christofoletti, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Docente do Instituto Integrado de Saúde da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Fisioterapeuta.

Referências

DI BENEDETTO, S.; MÜLLER, L.; WENGER, E.; DÜZEL, S.; PAWELEC, G. Contribution of neuroinflammation and immunity to brain aging and the mitigating effects of physical and cognitive interventions. Neuroscience and Biobehavioral Review, [s.l], v. 75. p. 114-28. 2017. Disponível em: https://scihub.st/https://doi.org/10.1016/j.neubiorev.2017.01.044. Acesso em: 6 set. 2020.

FOLSTEIN, M. F.; FOLSTEIN, S. E.; MCHUGH, P. R. Mini-mental state: a practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. Journal of Psychiatric Research, [s.l], v. 12, n. 3, p. 189-98. 1975. Disponível em: https://scihub.st/https://doi.org/10.1016/0022-3956(75)90026-6. Acesso em: 25 ago. 2020.

KAO, C. C.; CHIU, H. L.; LIU, D.; CHAN, P. T.; TSENG, I. J.; NIU, S. F.; CHOU, K. R. Effect of interactive cognitive motor training on gait and balance among older adults: a randomized controlled trial. International Journal of Nursing Studies, Taipei, Taiwan, v. 82, p. 121-8. 2018. Disponível em: https://sci-hub.st/10.1016/j.ijnurstu.2018.03.015. Acesso em: 25 ago. 2020.

LEZAK, M. D.; HOWIESON, D. B.; BIGLER, E.D.; TRANEL, D. Executive functions and motor performance. Neuropsychological Assessment. 4. ed. Nova York: Oxford University Press, 1995. p. 611-46.

MAASS, A. et al. Vascular hippocampal plasticity after aerobic exercise in older adults. Molecular psychiatric, [s.l], v. 20, p. 585-93. 2015. Disponível em: https://www.nature.com/articles/mp2014114. Acesso em: 25 ago. 2020.

MORAES, E. N. Idosos frágeis e a gestão integral da saúde centrada no idoso e na família. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, [s.l.], v. 20, n. 3, p. 307-8. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v20n3/pt_1809-9823-rbgg-20-03-00307.pdf. Acesso em: 11 out. 2020.

MORAES, N. E.; LANNA. M. F.; SANTOS, R. R.; BICALHO, M. A. C.; MACHADO, C. J.; ROMERO, D. E. A new proposal for the clinical functional categorization of the elderly: visual scale of frailty. Journal of Aging Research & Clinical Practice, [s.l], v. 5, n. 1, p. 24-30, 2016. Disponível em: https://www.jarlife.net/1808-a-new-proposal-for-the-clinical-functional-categorization-of-the-elderly-visual-scale-of-frailty-vs-frailty.html . Acesso em: 19 set. 2020.

PFEFFER, R. I.; KUROSAKI, T. T.; HARRAH, C. H.; CHANCE, J. M.; FILOS, S. Measurement of functional activities in older adults in the community. Journal of Gerontology, [s.l], v. 37, n. 3, p. 323-29. 1982. Disponível em: https://sci-hub.st/https://doi.org/10.1093/geronj/37.3.323. Acesso em: 19 set. 2020.

PODSIADLO, D.; RICHARDSON, S. The Timed "Up & Go": A Test of Basic Functional Mobility for Frail Elderly Persons. Journal of the American Geriatrics Society, [s.l], v. 39, n. 2, p. 142-48. 1991. Disponível em: https://sci-hub.st/https://doi.org/10.1111/j.1532-5415.1991.tb01616.x. Acesso em: 19 set. 2020.

SHEEHAN, K. J.; O'CONNELL, M. D.; CUNNINGHAM, C.; CROSBY, L.; KENNY, R. A. The relationship between increased body mass index and frailty on falls in community dwelling older adults. BMC Geriatrics, [s.l], v. 13, n. 132, p. 1-7, 2013. Disponível em: https://bmcgeriatr.biomedcentral.com/articles/10.1186/1471-2318-13-132. Acesso em: 13 out. 2020.

STERN, Y. et al. Effect of aerobic exercise on cognition in younger adults: a randomized clinical trial. Neurology, [s.l], v. 92, n. 9, p. 905-16, 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6404470/. Acesso em: 25 ago. 2020.

TAK, E.; KUIPER, R.; CHORUS, A.; HOPMAN-ROCK, M. Prevention of onset and progression of basic ADL disability by physical activity in community dwelling older adults: a meta-analysis. Ageing Research Reviews, [s.l], v. 12, n. 1, p. 329-38. 2013. Disponível em: https://sci-hub.st/https://doi.org/10.1016/j.arr.2012.10.001. Acesso em: 13 out. 2020.

THORBAN, L.D.B.; NEWTON, R.A. Use of the Berg Balance Test to predict falls in elderly persons. Physical Therapy, [s.l], v. 76, n. 6, p. 576-83, 1996. Disponível em: https://sci-hub.st/https://doi.org/10.1093/ptj/76.6.576. Acesso em: 13 out. 2020.

TROMBETTI, A. et al. Effect of physical activity on frailty: secondary analysis of a randomized controlled trial. Annals of Internal Medicine, [s.l], v. 168, n. 5, p. 309-16. 2018. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29310138/. Acesso em: 11 out. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION [WHO]. Noncommunicable diseases prematurely take 16 million lives annually, WHO urges more action. Geneva: WHO, 2015. Disponível em: https://www.who.int/mediacentre/news/releases/2015/noncommunicable-diseases/en/. Acesso em: 19 set. 2020.

YOON, D. H.; LEE, J.; SONG, W. Effects of resistance exercise training on cognitive function and physical performance in cognitive frailty: a randomized controlled trial. The Journal of Nutrition, Health & Aging, [s.l], v. 22, p. 944–51. 2018. Disponível em: https://sci-hub.st/https://doi.org/10.1007/s12603-018-1090-9. Acesso em: 11 out. 2020.

Publicado
2022-04-04
Como Citar
Vidal Bravalhieri, A. A., Oliveira Rodrigues, N., Borges Lino, T., & Christofoletti, G. (2022). Funções motoras e cognitivas de idosos frequentadores de centro de convivência comparados a idosos sedentários. Multitemas, 26(64), 29-43. https://doi.org/10.20435/multi.v26i64.3198