Avaliação da dieta livre de glúten consumida por celíacos no município de Sobral, Ceará, Brasil

Palavras-chave: glúten, doença celíaca, dieta livre de glúten, consumo de alimentos

Resumo

A doença celíaca (DC) é uma condição autoimune que afeta o intestino delgado, desenvolvida em indivíduos geneticamente susceptíveis como consequência da ingestão de glúten. O tratamento da DC consiste unicamente ou preferencialmente no consumo de uma dieta livre de glúten rigorosa por toda a vida, visto que seu seguimento leva à recuperação intestinal e melhoria clínica. O objetivo desta pesquisa foi investigar a adequação nutricional da dieta livre de glúten (DLG) consumida por celíacos adultos no município de Sobral, CE. Trata-se de uma pesquisa de campo, quantitativa, descritiva e transversal, com celíacos adultos, através da aplicação de um registro alimentar. A DLG apresentou elevado consumo médio de lipídios e proteínas, porém baixo de glicídios. Houve insuficiente ingestão de fibras, ácido fólico, cálcio e magnésio, mas elevado consumo de niacina, piridoxina e zinco. O estado nutricional dos celíacos deve ser monitorado constantemente, para manter a sua qualidade de vida.

Biografia do Autor

Maria Camila Oliveira Sampaio, Secretaria Municipal de Educação de Catunda

Especialista em Nutrição e Atividade Física na Saúde e Tratamento de Doenças pela Faculdade UNYLEYA. Nutricionista da Secretaria Municipal de Educação de Catunda, Ceará, Brasil.

Jorge Luis Pereira Cavalcante, Centro Universitário Inta (UNINTA)

Docente do Curso de Bacharelado em Nutrição do Centro Universitário Inta (UNINTA), Sobral, Ceará, Brasil. Doutorando em Nutrição pela Fundação Universitária Iberoamericana/Universidad Internacional Iberoamericana (FUNIBER/UNINI-México).utricionista da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, Ceará, Brasil.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA [ABESO]. Diretrizes brasileiras de obesidade. 4. ed. São Paulo: ABESO, 2016.

CAMPOS, T. N. Avaliação da adequação dietética e nutricional de adultos com doença celíaca. 2012. 97 p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Nutrição) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.

DECHER, N.; KRENITSKY, J. S. Tratamento nutricional nos distúrbios do trato gastrointestinal inferior. In: MAHAN, K. L.; ESCOTT-STUMP, S.; RAYMOND, J. L. Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. 14. ed. São Paulo: Elsevier, 2018.

FISBERG, R. M.; MARCHIONI, D. M. L.; COLUCCI, A. C. A. Avaliação do consumo alimentar e da ingestão de nutrientes na prática clínica. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, São Paulo, v. 53, n. 5, p. 617-24, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA [IBGE]. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: Tabela de Composição Nutricional dos Alimentos Consumidos no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2011.

INSTITUTE OF MEDICINE [IOM]. Dietary reference intakes (DRIs): recommended dietary allowances and adequate intakes, total water and macronutrients. Washington (DC): National Academy of Sciences, 2011.

INSTITUTE OF MEDICINE [IOM]. Dietary reference intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein, and amino acids. Washington (DC): National Academy Press, 2005.

INSTITUTE OF MEDICINE [IOM]. Dietary reference intakes: applications in dietary planning. Washington, DC: National Academies Press, 2002.

KUPPER, C. Dietary Guidelines and Implementation for Celiac Disease. Gastroenterology, Baltimore, v. 128, 4 Suppl. 1, p. 121-7, 2005.

LA ROSA HERNÁNDEZ, D.; VENEGA, M. C.; RIVERA, L. D. V.; CASTAÑEDA, N. S. Estado inmunonutricional de adultos celíacos atendidos en el Instituto de Gastroenterología, 2016-2017. Revista Habanera de Ciencias Médicas, La Habana, v. 17, n. 2, p. 201-13, 2018.

LAMONTAGNE, P., WEST, G. E.; GALIBOIS, I. Quebecers with celiac disease: analysis of dietary problems. Canadian Journal of Dietetic Practice and Research, Markham, v. 62, n. 4, p. 175-80, 2001.

LOHMAN, T. G.; ROCHE, A. F.; MARTORELL, R. Anthropometric standardization reference manual. 1. ed. Illinois: Human Kinetics Books, 1988.

MALANCHEN, B. E.; SILVA, F. A.; GOTTARDI, T.; TERRA, D. A.; BERNARDI, D. M. Composição e propriedades fisiológicas e funcionais da aveia. FAG Journal of Health, Cascavel, v. 1, n. 2, p. 185-200, 2019.

MESQUITA, L. R.; TONUCCI, L. B. PlaNutri: planilha de planejamento dietético. 1. ed. Sobral: UNINTA, 2016.

MOSCOSO, F.; QUERA, R. Enfermedad celíaca. Revista Médica de Chile, Santiago, v. 144, n. 2, p. 211-21, 2016.

NASCIMENTO, A. R. Doença celíaca: diagnóstico e tratamento. 2018. 35p. Monografia (Graduação em Farmácia) – Faculdade de Educação e Meio Ambiente [FAEMA], Ariquemes, RO, 2018.

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ALIMENTAÇÃO [NEPA]. Tabela de Composição de Alimentos (TACO). 4. ed. Campinas: Universidade Estadual de Campinas [UNICAMP], 2011.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE [OMS]. Relatório pericial sobre dieta alimentar, nutrição e prevenção de doenças crônicas. Roma: OMS, 2003.

PHILIPPI, S. T. Tabela de composição de alimentos: suporte para decisão nutricional. 6. ed. Barueri: Manole, 2017.

PRECOMA, D. B. et al. Atualização da diretriz de prevenção cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia – 2019. Arquivo Brasileiro de Cardiologia, São Paulo, v. 113, n. 4, p. 787-891, 2019.

QUERO, J. C. S.; JAIME, B. E.; MARTÍNEZ, A. R.;; F. MARTÍN, A.; JIMÉNEZ, R. G.; MURILLO, M. R.; MARTÍN, A. P. Valoración nutricional de la dieta sin gluten: ¿es la dieta sin gluten deficitaria en algún nutriente? Anales de Pediatría, Madrid, v. 83, n. 1, p. 33-9, 2015.

SÁ, J. A. B. G.; PEREIRA, R. J. Doença celíaca. In: LOPES, E. C.; PEREIRA, R. J.; REZENDE, F. A. C. (Org.). Nutrição do adulto: diretrizes para a assistência ambulatorial. 1. ed. Palmas: EDUFT, 2019.

SANTOS, A. S.; RIBEIRO, C. S. G. Percepções de doentes celíacos sobre as consequências clínicas e sociais de um possível diagnóstico tardio na doença celíaca. Demetra, Rio de Janeiro, v. 14, [s.n.], p. e33310, 2019.

SILVA, L.A.; BESSA, C. C.; GUEDES, N. G.; LOPES, M. V. O.; SILVA, V. M.;

SANTOS, J. C.; CHAVES, P. F. Acurácia dos indicadores clínicos de controle ineficaz da saúde em celíacos. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 73, n. 3, e20180739, 2020.

VICI, G.; BELLI, L.; BIONDI, M.; POLZONETTI, V. Gluten free diet and nutrient deficiencies: a review. Clinical Nutrition, Kidlington, v. 35, n. 6, p. 1236-41, 2016.

WILD, D.; ROBINS, G. G.; BURLEY, V. J.; HOWDLE, P. D. Evidence of high sugar intake, and low fibre and mineral intake, in the gluten-free diet. Alimentary Pharmacology and Therapeutics, Oxford, v. 32, n. 4, p. 573-81, 2010.

Publicado
2022-04-04
Como Citar
Oliveira Sampaio, M. C., & Cavalcante, J. L. P. (2022). Avaliação da dieta livre de glúten consumida por celíacos no município de Sobral, Ceará, Brasil. Multitemas, 26(64), 63-78. https://doi.org/10.20435/multi.v26i64.3149