Hermenêutica filosófica: um ensaio crítico sobre a proposta gadameriana

Palavras-chave: hermenêutica filosófica, Gadamer, Hegel

Resumo

O presente ensaio pretende: [a] analisar se a proposta de uma Hermenêutica Filosófica, tal como pensou Gadamer, realmente dá conta do fundamento de toda e qualquer hermenêutica; e [b] avaliar a pertinência ou não do locus da filosofia para a hermenêutica. Para atingir esse objetivo, é cogente: [a] evidenciar que a História do Conceito (Begriffsgeschichte) não é capaz de traduzir um núcleo comum de significação para o termo Hermenêutica; [b] reconstruir os argumentos que tornam possível a expressão gadameriana Hermenêutica Filosófica; [c] levantar questões que apresentem a fraqueza central do argumento desde a propriedade especulativa hegeliana, lembrada pelo próprio Gadamer. Este artigo é, por um lado, pesquisa bibliográfica – já que se baseia em referências já consolidadas –, e, por outro, documental, na medida em que pretende revisitar alguns documentos importantes para o resultado. Essencialmente, a discussão é formalmente feita com Gadamer (2008) em seu tratado “Verdade e Método”, o que não impedirá o uso de clássicos da história da Hermenêutica, como: Aristóteles (2016), Schleiermacher (1999), Dilthey (1900), Heidegger (1997, 1999) e o tratado “Ciência da Lógica”, de Hegel (2016), como contraponto. Os resultados preliminares deste artigo problematizam a ideia de Hermenêutica Filosófica e lançam mão da teoria especulativa hegeliana como uma saída para o problema gadameriano.

Biografia do Autor

Victor Hugo de Oliveira Marques, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

Doutor em Desenvolvimento Local pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Docente e coordenador do Curso de Filosofia da UCDB.

Referências

ARISTÓTELES. Da interpretação. 3.ed. São Paulo: Edipro, 2016. (Coleção Órganon).

DILTHEY, W. Die Entstehung der Hermeneutik (1900). Numen: Revista de Estudos e Pesquisa da Religião, Juiz de Fora, v. l, n. 1, p. 11-32, 1998.

DRUMMOND, J. J. Historical Dictionary of Husserl’s Philosophy: Historical dictionaries of religions, philosophies, and movements. Lanham: Scarecrow Press, 2007.

GADAMER, H. G. Verdade e método. Tradução de Flávio Paulo Meurer; revisão da tradução Enio Paulo Giachini. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (Org.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GRONDIN, J. Introdução à hermenêutica filosófica. Tradução de Benno Dischinger. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 1999.

HEGEL. Ciência da lógica. Petrópolis: Vozes, 2016. V.I.

HEIDEGGER, M. Ser e tempo – parte I. Tradução de Márcia de Sá Cavalcante. Petrópolis: Vozes, 1997.

HEIDEGGER, M. The traditional concept of hermeneutics. In: Ontology – the hermeneutics of facticity. Tradução de John van Buren. Bloomington, Indiana: Indiana University Press, 1999. p. 6-11.

JEANROND, W. G. Theological hermeneutics: development and significance. London: MacMillan, 1991.

LÖSENER, H. Zwischen wort und wort: interpretation und textanalyse. Müncher: WFV, 2006.

PALMER, R. Hermeneutics. Evanston: Northwestern University Press, 1969.

RICOEUR, P. Hermenêutica e ideologias. Tradução de Hilton Japiassu. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

RORTY, R. (Ed.). Linguistic Turn. Essays in philosophical method. Chicago, London: University of Chicago Press, 1992.

SCHLEIERMACHER, F. Hermeneutics and Criticism. And other writings. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

SCHMIDT, L. K. Hermenêutica. Tradução de Fábio Ribeiro. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

Publicado
2021-03-30