Relações entre as políticas públicas de turismo e as ações dos serviços turísticos no município de Bonito, polo de ecoturismo nacional

Palavras-chave: turismo sustentável, políticas públicas de turismo, agências de turismo, atrativos turísticos, meios de hospedagem.

Resumo

As políticas públicas de turismo e os serviços turísticos são meios que possibilitam a organização e concretização da atividade turística, importante fonte de renda para diversas regiões, no Brasil e no mundo. Em Bonito, estado de Mato Grosso do Sul, o ambiente natural é o grande responsável pela demanda de turistas, o qual, e não apenas por isso, deve receber atenção de órgãos públicos e entidades privadas com vistas à sua sustentabilidade, pois a existência ou não de políticas públicas e a forma como se dão as relações entre os componentes da atividade turística interferem no desenvolvimento do turismo. Desta forma, este artigo objetiva compreender as relações entre as políticas públicas de turismo e as ações dos serviços turísticos em Bonito, na perspectiva do ambiente natural. A metodologia utilizada foi de caráter quantitativo e qualitativo, de natureza descritivo-exploratória, por meio de um questionário aplicado junto aos serviços turísticos, avaliado com auxílio do software Sphinx Léxica 5.0. Os resultados indicaram que tanto as políticas públicas quanto as ações desenvolvidas pelos serviços turísticos são ainda insuficientes para garantir a conservação do ambiente. São poucas as ações realizadas pelo setor e, destas, uma pequena parcela acontece por influência dos órgãos governamentais por meio de suas políticas, demonstrando, assim, que as relações são ainda inexpressivas. As relações existem, mas não ocorrem de modo adequado a favorecer as práticas turísticas, considerando o que se convencionou chamar de sustentabilidade ambiental.

Biografia do Autor

Ademir Kleber Morbeck de Oliveira, Universidade Anhanguera-UNIDERP

Doutor em Ciências pela Universidade Federal de São Carlos. Professor do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Universidade Anhanguera-Uniderp.

Luciana Correia Diettrich, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Doutora em Meio Ambiente e Desenvovimento Regional pela Universidade Anhanguera-Uniderp. Professora da Escola de Administração e Negócios da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Milton Augusto Pasquotto Mariani, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo. Professor no Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

ALMEIDA, N. P. O processo de turistificação de Bonito. Campo Grande: UFMS, 2013.

ARAÚJO, W. A.; TEMOTEO, J. A. G.; ANDRADE, M. O.; TREVIZAN, S. D. P. Desenvolvimento local, turismo e populações tradicionais: elementos conceituais e apontamentos para reflexão. Interações, Campo Grande, v. 18, n. 4, p. 5-18, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.20435/inter.v18i4.1392

BENI, M. C. Análise estrutural do turismo. 4. ed. São Paulo: SENAC, 2001.

BONITO (Cidade). Lei Municipal n. 689, de 12 de abril de 1995. Dispõe sobre a obrigatoriedade do acompanhamento do guia local nos passeios turísticos no município e dá outras providências. Bonito, MS, 1995. Disponível em: http://www.camarabonito.ms.gov.br/base/media/attachments/34a072fe8b7a3318ac913d549_lei-689-95.pdf. Acesso em: 13 jul. 2021.

BONITO (Cidade). Lei Municipal n. 919, de 13 de maio de 2002. Dispõe sobre as atribuições do Guia de Turismo local, a obrigatoriedade de seu acompanhamento nos passeios turísticos no Município e dá outras providências. Bonito, MS, 2002. Disponível em: http://www.camarabonito.ms.gov.br/96af15b03fec07ae92fd8_lei-ordinaria-n-919.pdf. Acesso em: 13 jul. 2021.

BOULLÓN, R. C. Las actividades turísticas y recreacionales: el hombre como protagonista. 4. ed. México: Editorial Trillas, 2009.

BRASIL. Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Brasília, DF, 1981. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/l6938.htm. Acesso em: 13 jul. 2021.

BRASIL. Lei n. 11.771, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre a Política Nacional de Turismo, define as atribuições do Governo Federal no planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor turístico. Brasília, DF, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-Nacional,de%201991%3B%20e%20d%C3%A1%20outras. Acesso em: 13 jul. 2021.

BRASIL. Ministério do Turismo. Secretaria Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo. Departamento de Formalização e Qualificação no Turismo. Coordenação-Geral de Turismo Responsável. Turismo e sustentabilidade: orientações para prestadores de serviços turísticos. Brasília, DF: Ministério do Turismo, 2016.

BUTLER, R. W. Sustainable tourism: a state-of-the-art-review. Tourism Geographies, Routledge, v. 1, n. 1, p. 7-25, 1999.

DIAS, R. Planejamento do turismo: política e desenvolvimento do turismo no Brasil. São Paulo: Atlas, 2003.

DIAS, R. Turismo sustentável e meio ambiente. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HEIDEMANN, F. G.; SALM, J. F. (Org.). Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. 2. ed. Brasília: UnB, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA [IBGE]. Estimativa populacional 2021. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ms/bonito/panorama. Acesso em: 13 jul. 2021.

LAGE, B. H. G.; MILONE, P. C. Economia do turismo. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

OLIVEIRA, A. K. M.; DIETTRICH, L. C. Sustentabilidade ambiental na Serra de Bodoquena no contexto da legislação de Mato Grosso Sul. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 12, n. 5, p. 601-22, 2019. DOI: https://doi.org/10.34024/rbecotur.2019.v12.9408

OLIVEIRA, M. A. S.; ROSSETTO, A. M. Políticas públicas para o turismo sustentável no Brasil - evolução e perspectivas de crescimento para o setor. Revista Turismo Visão e Ação – Eletrônica, Itajaí, v. 15, n. 3, p. 322-39, 2013. DOI: https://doi.org/10.14210/rtva.v15n3.p322-339

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO TURISMO [OMT]. Introdução ao turismo. São Paulo: Roca, 2001.

RODRIGUES, M. M. A. Políticas públicas. São Paulo: Publifolha, 2010.

SPHINX Brasil. Léxica: sistema para pesquisa e análise de dados. 2021. Disponível em: https://www.sphinxbrasil.com/. Acesso em: 13 jul. 2021.

TOMAZZONI, E. L.; ZANETTE, F. C.; LAIDENS, M. C. Gestão em hotelaria e sustentabilidade ambiental: análise da experiência do Programa Bem Receber na região das hortênsias (Serra Gaúcha). Revista Acadêmica Observatório de Inovação do Turismo, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, p. 1-14, 2009. DOI: https://doi.org/10.12660/oit.v4n3.5749

WORLD COMMISSION ON ENVIRONMENT AND DEVELOPMENT [WCED]. Our Common Future. Oxford: Oxford University Press, 1987. Disponível em: https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/5987our-common-future.pdf. Acesso em: 13 jul. 2021.

Publicado
2022-04-28
Como Citar
de Oliveira, A. K. M., Diettrich, L. C., & Mariani, M. A. P. (2022). Relações entre as políticas públicas de turismo e as ações dos serviços turísticos no município de Bonito, polo de ecoturismo nacional. Interações (Campo Grande), 23(1), 183-198. https://doi.org/10.20435/inter.v23i1.3212